Já ouviu falar sobre home equity? 

Também conhecido como crédito com garantia de imóvel, este é um tipo de empréstimo muito vantajoso, pois é a modalidade com as menores taxas de juros disponíveis no mercado, além de maiores prazos para pagamento. Além disso, pode ser usado de acordo com a necessidade do cliente, como quitar dívidas de taxas maiores, investir nos estudos, realizar uma viagem, abrir um negócio, entre outras infinitas possibilidades.

O home equity é basicamente uma forma de crédito em que o imóvel entra como garantia de pagamento e os recursos liberados ao proprietário podem ser utilizados para qualquer fim. Para isso, é feito um processo de alienação fiduciária do bem em favor do credor, ou seja, de quem concedeu o crédito. Credores, por sua vez, podem ser bancos tradicionais, digitais e fintechs. Vale ressaltar que o cliente segue com a posse do imóvel, seja para morar ou alugar.

Não sabe o que é alienação fiduciária?

Não se preocupe, vamos explicar.

A partir do momento em que o contrato do empréstimo é assinado, o imóvel acordado é transferido temporariamente para a instituição financeira, mas continua sendo usado normalmente pela pessoa que solicitou o empréstimo. Após o pagamento de todas as parcelas ou quitação total da dívida, o imóvel volta para o nome do proprietário. Para este processo, damos o nome de alienação fiduciária. Nesse tipo de operação os juros praticados são os menores do mercado. Afinal, existe a segurança de pagamento. Além disso, as financiadoras conseguem oferecer prazos longos e valores mais altos.

Quem pode utilizar o home equity e quais os pré-requisitos para essa modalidade?

Qualquer pessoa física ou pessoa jurídica que possua um imóvel pode utilizar essa modalidade de crédito. Contudo, a maioria dos processos são efetuados por pessoas físicas que querem quitar dívidas, reduzir juros de empréstimos já contratados, efetuar reformas e/ou investir em um negócio próprio. Veja alguns exemplos:

? É possível pagar as contas com juros altos, como o cartão de crédito e assim, ter parcelas com valores mais acessíveis;

? Os empresários optam por essa modalidade para ter um capital de giro saudável;

? O empreendedor pode tirar um projeto do papel já que tem acesso a altos valores;

? Pagar a reforma da casa ou da empresa à vista e quitar as parcelas home equity com tranquilidade;

? Fazer o casamento dos sonhos ou viagem sem se preocupar em economizar durante o evento.


Taxa de juros atrativa e o custo desta operação

O home equity é direcionado às pessoas que precisam de um empréstimo e possuem um imóvel para dar como garantia e por essa razão, possui as menores taxas de juros do mercado. Apenas como uma base de comparação, saiba que o empréstimo pessoal cobra juros acima de 6% ao mês, o cheque especial mais de 12% ao mês e o home equity a partir de 0,75% ao mês (a taxa pode mudar de acordo com o  escore e o risco da operação) . Assim, fica mais barato pagar a dívida.

Visto que o objetivo da instituição financeira não é tomar a casa e sim facilitar para que o cliente receba o dinheiro que está necessitando e quite a dívida com tranquilidade. Logo, os prazos podem chegar a até 20 anos de parcelamento, o que torna o home equity mais acessível quando comparado aos outros, que oferecem no máximo 10 anos para pagar.

Aliás, a correção é feita pela Taxa de Referência ou Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). Já a amortização segue a tabela Price ou Sistema de Amortização Constante (SAC). São liberados até 60% do valor de avaliação do imóvel.


Negativados podem solicitar?

Achava que os negativados tinham como opção somente empréstimo com desconto em folha? Se enganou, o home equity também é concedido a eles. Afinal, a pessoa colocará o bem na negociação. Outro entendimento das financeiras é que com o capital, o interessado poderá limpar seu nome na praça e recuperar sua credibilidade financeira.


É possível usar um imóvel financiado ou de outra pessoa como garantia de empréstimo?

No primeiro caso, existe sim a possibilidade de conseguir o crédito utilizando como garantia um imóvel financiado, sendo que um banco paga o outro liberando a diferença de valores ao cliente, de acordo com o valor contratado. Quanto a usar um bem que está em nome de outra pessoa, só é válido se esse outro cliente fizer parte do contrato também.


Quais são os cuidados ao realizar um empréstimo com garantia de imóvel?

O cliente deve fazer comparações e avaliar o custo efetivo total (CET), que é a soma das taxas de juros, o Imposto sobre Operação Financeira (IOF), seguros e outras despesas existentes no contrato. Esse percentual vai demonstrar o quanto estará pagando pelo empréstimo. Também, deve considerar os valores das parcelas para saber se caberão dentro do orçamento do cliente, de modo que não atrapalhe suas finanças. Outro detalhe é o limite de idade e parcelamento para obter o empréstimo: ambos não podem ultrapassar os 80 anos.


Como funciona a comprovação de renda?

O cliente precisa mostrar para o banco que tem como saldar as parcelas mensalmente. Por isso, são exigidas algumas documentações básicas. Inclusive, é aceitável combinar as rendas de pessoa física e jurídica para aumentar o valor do crédito. Não obstante, vale ressaltar que nesse sistema é impedida a utilização do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) como parte da quitação.


Solicite simulação: http://bnimoveis.com/home-equity

Usamos cookies para personalizar conteúdos e melhorar sua experiência. Ao navegar nesse site, você concorda com a nossaPolítica de Cookies